Internacionalização: MERCOSUL e ALADI

Por iniciativa do coordenador geral do CEAPPG, iniciaram-se uma série de reuniões e tratativas junto à Secretaria do Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) e com a Associação de Latino-Americana de Integração (ALADI), que culminaram num acordo entre estes órgãos e a Universidade Estadual da Paraíba.

No dia 14 de julho de 2022 foi realizada uma cerimônia na sede do MERCOSUL para a assinatura do acordo que objetiva promover e profundar a integração regional por meio de ações acadêmicas. Após alguns meses, foi celebrado o acordo com a ALADI.

O Acordo com o Mercosul já rendeu frutos. Uma aluna e um aluno da UEPB realizaram um estágio de 5 meses na Secretaria do órgão, em Montevidéu. Foram selecionados pela Universidade e depois passaram no processo seletivo do órgão. A UEPB colaborou financeiramente para essa viagem.

Além disso, o CEAPPG iniciou um processo de cadastramento frente ao MERCOSUL para que fosse considerado uma Organização ou Movimento Social que possa participar das reuniões e encontros da Sociedade Civil da integração regional a fim de colaborar com os mais variados temas. No ano de 2023 teve seu registro aceito.

Webinário Estadual sobre o Novo Ensino Médio

O Webinário Estadual “Os desafios do Novo Ensino Médio e das Licenciaturas na Paraíba” foi uma proposta do CEAPPG em parceria com a Secretaria de Estado da Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba e reuniu gestores, professores, discentes e público interessado para conhecer, refletir e debater sobre os temas que impactarão o sistema de educação da Paraíba, a partir da implementação do Novo Ensino Médio em 2022.

Nos dias 31 de janeiro, 1 e 2 de fevereiro de 2022, foram ofertadas palestras e mesas redondas, com gestores e acadêmicos da Educação da Paraíba, provendo o conhecimento da Base Nacional Comum Curricular e da Proposta Curricular do Ensino Médio do Estado da Paraíba.

Foi criado o site: www.novoensinomediopb.online e o Instagram @novoensinomediopb, o que possibilitou a inscrição online para o Webinário e 3.882 pessoas se inscreveram.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável foi instituída, em setembro de 2015, pelos 193 Estados Membros da ONU (UN General Assembly Resolution 70/1), tendo sido resultado de um processo global participativo de mais de dois anos, coordenado pela ONU, onde os governos, a sociedade civil, a iniciativa privada e as instituições de pesquisa realizaram suas contribuições. Sua implementação teve início em janeiro de 2016, dando continuidade à Agenda de Desenvolvimento do Milênio (2000-2015), e ampliando seu escopo. Abrange o desenvolvimento econômico, a erradicação da pobreza, da miséria e da fome, a inclusão social, a sustentabilidade ambiental e a boa governança em todos os níveis, incluindo paz e segurança.


A visão da agenda é ambiciosa e transformadora e prevê um mundo livre de problemas como pobreza, miséria, fome, doença, violência, desigualdades, desemprego, degradação ambiental, esgotamento dos recursos naturais, entre outros.
Os princípios centrais são a soberania plena e permanente de cada Estado, a universalidade, o desenvolvimento integrado, que assegure uma implementação nacional consistente com as aspirações nacionais e a visão global, e incluir a todos, o que implica no cumprimento dos objetivos e metas em todos os países e em todos os segmentos da sociedade. Os compromissos estão presentes nos objetivos e metas, que devem ser compartilhados através de uma maior cooperação internacional. Com isso, ela reafirma também compromissos com os direitos humanos e o direito internacional.


A Agenda 2030 é composta por 17 objetivos, os denominados Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), intercalados por 169 metas de ação global para alcance até 2030. Em sua maioria, abrange as dimensões ambiental, econômica e social do desenvolvimento sustentável, de forma integrada e inter-relacionada. Guiados por metas globais, espera-se que os países definam as suas metas nacionais, de acordo com as suas circunstâncias, e as incorporem em suas políticas, programas e planos de governo.

Indicação Prêmio ENADE de valor

A partir de um trabalho de monitoramento de dados educacionais da Paraíba, em especial sobre as metas de Educação Superior do Plano Estadual de Educação, foi publicado um artigo no ParlamentoPB sobre o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE). O artigo, a partir das edições do ENADE analisou os cursos de graduação da Paraíba e propôs um ranking das universidades do Estado tendo em conta essas avaliações. O artigo foi motivo para um projeto de Indicação ao Governador por parte do Deputado Raniery Paulino. A Indicação 746/2021, depois assinada pelo presidente da Assembleia Legislativa do Estado da Paraíba fez eco ao artigo que propõe o prêmio ENADE Paraíba, a fim de valorizar os cursos de graduação do Estado que são ranqueados com a nota 4 e 5, sendo cursos de excelência nacional.

Indicação Prêmio ENADE de valor

A partir de um trabalho de monitoramento de dados educacionais da Paraíba, em especial sobre as metas de Educação Superior do Plano Estadual de Educação, foi publicado um artigo no ParlamentoPB sobre o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE). O artigo, a partir das edições do ENADE analisou os cursos de graduação da Paraíba e propôs um ranking das universidades do Estado tendo em conta essas avaliações. O artigo foi motivo para um projeto de Indicação ao Governador por parte do Deputado Raniery Paulino. A Indicação 746/2021, depois assinada pelo presidente da Assembleia Legislativa do Estado da Paraíba fez eco ao artigo que propõe o prêmio ENADE Paraíba, a fim de valorizar os cursos de graduação do Estado que são ranqueados com a nota 4 e 5, sendo cursos de excelência nacional.

Projeto da professora Fátima arrecada alimentos para catadores de materiais recicláveis

Desde 2013 atuando na frente do projeto de extensão “Mobilização, inclusão e formação de catadores(as) de materiais recicláveis da cidade de João Pessoa: uma experiência necessária, a professora Fátima vem coordenando e mobilizando doações para os catadores e catadoras da cidade de João Pessoa.
Devido a lástima provocada pela pandemia e a escassez de políticas públicas que contemplem grupos vulneráveis, a professora Fátima e seu grupo tomaram a iniciativa de listar e cadastrar catadoras e catadores, ajudando-os com doações de acordo com a ordem de maior necessidade.

É importante ressaltar que o projeto precisa de ajuda e está recebendo, na sede do Campus V da UEPB, localizado no bairro do Cristo, na rua Horácio Trajano de Oliveira, alimentos ou cestas básicas doadas pela comunidade, de forma que estas sejam distribuídas e entregue aos catadores, de acordo com a necessidade.

Além dessa abordagem, a professora já entrou com pedido de um plano de emergência para os catadores, na Prefeitura Municipal de João Pessoa e no Governo do Estado da Paraíba, e articulações com Assembleia Legislativa para que essas pessoas tenham prioridade no plano estadual de vacinação.
Assim como os catadores, milhões de brasileiros sofrem de insegurança alimentar todos os dias, acentuada pela pandemia global e o descaso governamental; é importante nos conscientizarmos dessa situação, ajudando como e quando for possível.

Passando para o lado, temos o depoimento de Josilene Tavares, representante do Corpo de Catadores do bairro de Mangabeira, e em seguida o agradecimento de um dos catadores recebendo cesta básica nas dependências do Campus V.

Semana de Relações Internacionais da UEPB

2021 é mais um ano atípico, em que a Universidade possui um papel fulcral para a sociedade. Somos chamados não apenas a pensar e repensar a ciência, mas também as formas institucionais, as relações sociais e humanas. Além disso, estamos convocados a agir, na construção de uma sociedade mais justa, mais igualitária e mais amorosa.

O país, em especial, e o mundo em geral, passam por tempos em que pessoas, chefes de estado e representantes políticos recriam e reproduzem formas de violências que tanto gostaríamos que fossem superadas.

Neste viés, a Semana que ora apresentamos, objetiva trazer debates que perpassam a contemporaneidade e seus dilemas, na perspectiva de uma construção de outro mundo possível. Oxalá possamos contribuir com a nossa comunidade de Relações Internacionais da UEPB e demais interessados, dentro desse escopo ora proposto

Professora da Universidade Estadual passa a integrar grupo de pesquisa e intervenção Parent in Science

A professora Alessandra Brandão, do Câmpus VIII da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Araruna, foi convidada para integrar o Parent in Science, grupo de pesquisa e intervenção que tem se configurado como um movimento que encabeça a discussão nacional sobre maternidade/paternidade no universo da ciência brasileira.

O grupo, que surgiu em 2017, em Porto Alegre, tem desenvolvido uma série de pesquisas, debates e seminários apresentando uma questão fundamental à sociedade: o impacto dos filhos na carreira científica de mulheres e homens em diferentes etapas da vida acadêmica.

Recentemente, o grupo realizou importante pesquisa que demonstra o impacto da pandemia na produção acadêmica dos pais, atingindo de forma particular as mulheres, que acumulam um número ainda maior de atividades nesse período. Uma das mais conhecidas conquistas do grupo, no entanto, foi a inserção da maternidade/paternidade na Plataforma Lattes.

A informação, que agora pode ser adicionada nos currículos de pesquisadores, é sigilosa, estando disponível para avaliadores do CNPq, que agora estarão informados se o período de menor produtividade de uma pesquisadora, por exemplo, foi decorrente de licença-maternidade, o que pode atenuar os constantes prejuízos em seleções de financiamento.

Essa iniciativa do Parent in Science foi reconhecida e apoiada por 34 sociedades científicas, incluindo a Academia Brasileira de Ciências. Como consequência do movimento do referido grupo, diversos editais de pesquisa já consideram o período de cuidados infantis, em algum grau, na análise de currículos.

O convite para a pesquisadora da UEPB integrar o Parent in Science atende a uma ampliação da agenda nacional de trabalho do movimento. Essa relação teve início durante a participação da docente no evento “Mulheres na Ciência”, promovido pela British Council, em 2019. Na sequência, Alessandra foi convidada pelo grupo para fazer parte de uma mesa redonda que abordava o desafio de pesquisadores com filhos deficientes, durante o seminário “Maternidade e Ciência”, realizado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Segundo a docente, o Parent in Science é um grupo do qual dá muita satisfação em integrar, pois encabeça um debate necessário dentro do ambiente acadêmico. “Não podemos mais deixar invisível a família e toda complexidade envolvida com esse tema”, reflete a docente. “O Parent in Science teve a determinação de iniciar o debate nos ambientes acadêmicos e no sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação do País, quando o tema era vigorosamente ignorado, e fico feliz de poder estar junto dele, ainda mais efetivamente a partir de agora”, conclui Alessandra.

Outras informações sobre o Parent in Science podem ser obtidas no site www.parentinscience.com, pelo Facebook (www.facebook.com/parentinscience) ou pelo perfil @parentinscience no Instagram.

Foto: Arquivo pessoal

Notícia retirada do site da UEPB em 13 de agosto de 2020

Diplomata Celso Amorim lança livro publicado pela Editora A União em parceria com a EDUEPB

Primeira personalidade a receber o título de Doutor Honoris Causa da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), o embaixador e ex-ministro de Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, lança, nesta quinta-feira (6), o livro “Celso Amorim: Entre virtudes e vocações”, publicado pela Editora A União, em parceria com a Editoria da UEPB (EDUEPB).

O lançamento será por meio de uma live, às 18h, com o diplomata, transmitida na página do facebook do livro (https://www.facebook.com/Livroamorim) e também pelas redes sociais oficiais da Rádio Tabajara no Instagram (@radiotabajara) e no Youtube (https://www.youtube.com/channel/UCfE3N8284UA8bVe4Jc789qg). Na ocasião, Celso ministrará a palestra “Política externa brasileira e Democracia: Balanço e perspectivas”. O evento está sendo organizado pelo professor do Câmpus V da UEPB, Carlos Enrique Ruiz Ferreira, e pela diretora-presidente da Empresa Paraibana de Comunicação (EPC), Naná Garcez.

“Celso Amorim: entre virtudes e vocações” é uma coletânea de textos do embaixador, produzidos entre 1991 e 2011. Os textos foram selecionados pelos professores Carlos Enrique Ruiz Ferreira e Daniel Afonso da Silva (organizadores), tendo em conta a dimensão histórica e analítica sobre as questões fundamentais da política internacional e da política externa brasileira.

Professor Carlos destacou a relevância da obra e lembrou que o livro foi impresso pela Editora A União, em parceria com a Editora Universitária da UEPB (EDUEPB), que realizou a revisão, editoração e diagramação, além da criação de arte da capa do livro. “É um livro que apresenta uma coletânea de textos de Celso Amorim durante 20 anos da vida do ex-ministro. Fizemos uma criteriosa seleção dos textos dele, tendo em conta o rigor e a contribuição analítica que ele deu para a política internacional e para a política externa brasileira”, comentou professor Carlos Enrique.

O livro abarca 20 anos de escritos e produção intelectual desse importante homem da República brasileira. Neste tempo, Celso Amorim ocupou o posto de embaixador em Genebra e Londres, foi representante do Brasil na Organização das Nações Unidas (ONU) e ministro de Relações Exteriores do governo de Luiz Inácio Lula da Silva.

A obra também contempla alguns de seus escritos e contribuições para a Carta Capital, na coluna Radical Livre. Com prefácio do ex-presidente Lula, o livro pretende contribuir para o debate e a formação acadêmica de estudantes, diplomatas, funcionários internacionais, professores e interessados em geral na área de Ciências Sociais e Humanas, em especial dos campos de Relações Internacionais, Ciência Política, História, Economia, Direito e Geopolítica.

Celso Amorim foi ministro de Relações Exteriores entre 1993 e 1995 e entre 2003 e 2010. Foi também ministro da Defesa entre 2011 e 2015. No livro, Celso aborda a trajetória da política brasileira em relação aos países árabes, culminando no reconhecimento do Estado Palestino. O ex-ministro, ora no papel de político-diplomata, ora no de negociador comercial, conduziu o Brasil ao protagonismo na busca por uma solução pacífica e negociada para a questão iraniana, bem como nas negociações da Rodada Doha.

Celso Amorim se tornou a primeira personalidade a receber o título de Doutor Honoris Causa da UEPB, a mais alta honraria outorgada pela Instituição. O título de Doutor Honoris Causa foi uma propositura oriunda do Centro de Ciências Biológicas e Sociais Aplicadas (CCBSA), Câmpus de João Pessoa, através do Departamento de Relações Internacionais.

Texto: Severino Lopes

Notícia retirada do site da UEPB em 5 de agosto de 2020

Livro publicado por pesquisadores do CEAPPG tem repercussão na imprensa paraibana

Um grupo de pesquisadores da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) publicou o livro fotográfico intitulado “Pedra da Boca: o parque das gigantes”. A obra, publicada pela EDUEPB, é fruto de um programa de extensão “Educação Ambiental na Pedra da Boca”, desenvolvido no Câmpus da Instituição em Araruna, financiado pelo Ministério da Educação (MEC) e realizado durante dois anos no Parque Estadual Pedra da Boca. Trata-se de um convite à sociedade para um olhar sobre a importante unidade de conservação paraibana.

A proposta do livro é apresentar as imagens captadas durante a realização dos projetos de educação ambiental, que alcançou mais de 10 mil pessoas, entre fieis da Romaria de Fátima, estudantes da rede pública da região e membros da comunidade local. O livro aborda, em uma linguagem acessível, respeitando ao máximo os dados científicos, a relação da comunidade local com a natureza, a riqueza histórica, social, geológica e biológica do lugar.

Conforme os autores, a expressão “Parque das Gigantes” se remete às “pedras gigantes” que alcançam 180 metros, como é o caso da Pedra da Boca. A imponência das rochas da unidade de conservação tem despertado diversas lendas em seus povos originários, que retratam castelos encantados, pedras gigantes que protegem plantas e animais, além de botijas e espingardas de ouro escondidas entre as pedras gigantes.

Sobre o projeto extensionista

O começo dessa história foi a instalação do Câmpus VIII da UEPB, em 2010, na cidade de Araruna. Afinal, quando um grupo de pesquisadores chega a um lugar, especialmente nos ambientes com grande potencial de pesquisa, se mobiliza toda uma expertise para estudar as questões locais. É o caso da professora Alessandra Brandão, que trabalha com temas ligados ao ensino de ciências, educação para o meio ambiente e comunicação pública da ciência.

Em 2015, a pesquisadora propôs ao Ministério da Educação (MEC), por meio da Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) da UEPB, um programa de extensão que visava minimizar impactos negativos no Parque Pedra da Boca, através de estratégias de comunicação e educação ambiental, dialogando, inclusive, com recomendações federais, para uso de tais estratégias nas unidades de conservação. Para a professora, o edital era uma oportunidade muito importante de contribuir com o Parque Pedra da Boca e, ao mesmo tempo, com a formação de dezenas de estudantes que participaram do projeto. Outro ponto importante previsto diz respeito à possibilidade de distribuição de renda no entorno, uma vez que os monitores, responsáveis por acompanhar os estudantes nas trilhas, deveriam ser preferencialmente do local.

Pedra da Boca

O Parque Estadual Pedra da Boca foi instituído como área de preservação no ano 2000, com o intuito de proteger um conjunto rochoso com geoformas únicas, que têm sido associadas, ao longo do tempo, a feições diversas, recebendo nomes como Pedra da Boca, Pedra da Caveira, Pedra do Coelho, Pedra do Letreiro (pelas pinturas rupestres), entre outras. Não à toa, diversas lendas de castelos, princesas, gigantes, espingardas e botijas de ouro tentam explicar, nas vozes dos nativos, tão magnífica beleza natural.

Segundo professora Alessandra, o Parque está localizado em um importante ecossistema e havia alguns pontos sobre o parque que mereciam atenção especial, tais como o desconhecimento das pessoas da região sobre a importância do parque, sendo mais conhecido por visitantes, inclusive, com erros de localização geográfica, sendo por vezes creditado a outro estado; aumento da visitação sem estratégias de discussão sobre o mesmo, com consequências negativas; turismo religioso forte, bonito, no Santuário de Fátima, mas que impacta a área preservada; sítios arqueológicos, com pinturas de grande importância que, além de estarem praticamente sem estudos, estão sujeitos a uma grande deterioração; e ausência de uma publicação capaz de divulgar as riquezas do parque para um público mais amplo.

Segundo a coordenadora, que divide autoria do livro com Rafael Xavier (Geografia), Marcionila Fernandes (Sociologia) e Caio Silva (biólogo e fotógrafo), ao desenvolver um plano de trabalho que considerou tudo isso, o programa de extensão conseguiu bons resultados. O projeto tem entrevistas com o público das romarias, que pode apoiar intervenções específicas. Foram levados mais de 600 estudantes da região para as rodas de conversa e “aventuras no parque”, com trilhas e escaladas nas rochas, em uma metodologia chamada de reflexão-ação-reflexão. Também foi realizado um ensaio fotográfico sobre o parque, inclusive sobre as pinturas rupestres, apresentando uma análise sobre algumas delas.

Além disso, o projeto aproximou membros da comunidade local para falar sobre sua visão sobre o lugar. O resultado final foi o livro fotográfico que aborda e apresenta boa parte desses aspectos para sociedade, em uma linguagem acessível, uma vez que a riqueza do parque, quando descrita, se restringe ao ambiente acadêmico. Portanto, de acordo com professora Alessandra Brandão, a obra é um tipo de publicação ampla, que se ocupa de vários vários aspectos, se comparada a outras obras mais especializadas sobre a Boca da Pedra, que possuem característica predominantemente acadêmica.

Os exemplares na versão impressa do livro serão doados a escolas públicas de Araruna e outras regiões do Estado. O e-book está sendo organizado e, em breve, será disponibilizado ao público na plataforma da EDUEPB.

Notícia retirada do site da UEPB em 2 de julho de 2020

Texto e fotos: Equipe do projeto de extensão “Educação Ambiental na Pedra da Boca”